HIPOMELANOSE MACULAR PROGRESSIVA  OU CUTIS TRUNCI

 

DOENÇA:

A Hipomelanose Macular Progressiva (HMP) foi descrita, pela primeira vez, por Guillet e cols em 1980, como uma desordem da pigmentação em pacientes com mistura racial (negróides e caucasoides), residentes na Franca e originários do Caribe Frances.  Ainda na década de 80, a doença foi relatada em outros países, não relacionada a mistura racial e com diferentes nomenclaturas como: hipomelanose macular confluente progressiva, cutis trunci variata, hipomelanose numular do tronco. É uma dermatose comum em diferentes continentes, tais como: África, Europa, Ásia e Américas. No Brasil, não ha dados epidemiológicos sobre esta dermatose. Trabalhos publicados descrevem uma maior prevalência no sexo feminino, em adolescentes e adultos jovens, com pele tipo 2 a 4 de Fitzpatrick. Clinicamente, caracteriza-se por maculas numulares mal definidas, hipopigmentadas, confluentes, de localização simétrica, em áreas seborreicas, geralmente no tronco posterior e anterior e, mais raramente, no pescoço e partes proximais das extremidades. As lesões são assintomáticas e não ha precedentes de lesão inflamatória.

Guillet et al. (1988) sugeriram que a Hipomelanose Macular Progressiva (CUTIS TRUNCI) é uma doença de caráter racial que acomete pessoas de raças miscigenadas. Essa hipótese se baseou na observação de achados ultraestruturais que revelaram melanossomos solitários (negróide) e melanossomos agregados (caucasoides) responsáveis por variações nas tonalidades da pele. A observação histológica de infiltrado linfocitico perifolicular moderado na lesão também sugere que a hipopigmentação da pele pode ser secundaria a um processo inflamatório; entretanto, não ha sinais clínicos de inflamação na Hipomelanose Macular Progressiva

 

A sua patogênese ainda e incerta. Alguns autores sugerem a ação de uma subespécie do Propionibacterium acnes, na fisiopatologia do quadro. Os tratamentos propostos, descritos na literatura, são: fototerapia (PUVA, UVA ou UVB narrow band), peróxido de benzoila 5 % e clindamicina 1% tópicos. Ha relato do uso de doxiciclina via oral.  A evolução e o prognostico da Hipomelanose Macular Progressiva ainda não estão bem estabelecidos. Alguns autores acreditam no desaparecimento espontâneo das lesões ate 10 anos, após o inicio do quadro.

 

TRATAMENTO HIPOMELANOSE MACULAR PROGRESSIVA:

Vários tratamentos para a Hipomelanose Macular Progressiva tem sido utilizados, com resultados variáveis: hidratação local, exposição solar, fototerapia, corticoides tópicos e tetraciclina via oral. No entanto, não ha consenso ou medicação de primeira linha para essa dermatose e os tratamentos usualmente empregados tem se mostrado pouco eficazes contra a P. acnes, com exceção da combinação de peróxido de benzoila 5% e clindamicina 1%. A clindamicina inibe a síntese proteica bacteriana, ligando-se a subunidade 50S do ribossomo, e o peróxido de benzoila possui radicais livres produtores de moléculas de oxigênio que reagemcom a parede celular bacteriana, eliminando a P. acnes. Alem disso, o uso combinado de peróxido de benzoila com antibiótico tópico reduz o risco de desenvolvimento de P. acnes resistente. A eliminação da P. acnes com uma terapia antimicrobiana tópica poderia melhorar a repigmentação nos pacientes com Hipomelanose Macular Progressiva.

 

1.Santos JB, Almeida OLS, da Silva LM, Barreto ERM. Eficacia da combinacao topica de peroxido de benzoila 5% e clindamicina 1% para o tratamento da hipomelanose macular progressiva: um estudo randomizado, duplo-cego, placebo controlado. An Bras Dermatol. 2011;86(1):50-4

2.Duarte I, Della Nina BI, Gordiano MC, Buense R, Lazzarini R. Hipomelanose macular progressiva: estudo epidemiologico e resposta terapeutica a fototerapia. An Bras Dermatol. 2010;85(5):621-4.

 

 

IMPORTANTE

  • Procure o seu dermatologista para diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios.

 

hipomelanose macular progressiva

FOTOS HIPOMELANOSE MACULAR PROGRESSIVA :

 

Tópico: hipomelanose macular progressiva

Hipomelanose

Data: 24/10/2014 | De: Suzana

Eu ja tenho ha algum tempo... tentei alguns medicamentos e agora vou tentar a fototerapia, e tambem me receitaram o peroxido, e clindamicina..Estou esperançosa... Mas so Deus para nos curar...

manchas

Data: 24/10/2014 | De: triste

que merda as minha manchas ta dando ate no rosto e onde tem a barba não cresce mas fica falhada nas costa ta cheia e nasce espinhas encima das manchas tem no peito e debaixo do suvaco a minha vida profissonal ta indo mal por causa dessa porra dessas manchas

Desconhecimento da doença

Data: 21/10/2014 | De: nilza

As manchas apareceram na minha costa (lombar) tinha 21 e hoje estou com 41. Na época, fui a uma médica que me passava remédios caríssimos. Não vi resultados. Depois fui a outro médico que me indicaram e com ele descobri que era essa doença. A época, ele disse que era um gen (branco-sou morena) europeu tentando sobressair na pele morena e que começa aos 20 e aos 40 vai desaparecendo. Disse que era para pegar sol que elas amenizariam. Mas não tem como viver esturricada de sol, porque vou arranjar outra doença. Tô notando que está espalhando agora. Vou tentar outro médico. Noto que eles desconhecem a doença. É ruim para quem tem, pois ficamos restritos a certas roupas e qd vamos a praia sempre tem uma pergunta do tipo isso tá parecendo pano branco. Aff!

Re:Desconhecimento da doença

Data: 21/10/2014 | De: Samuel

eu tenho e da para controlar isto. o remedio é o peroxido e benzeila, é manipulado ou pode usar o clyndoxil gel, é a mesma coisa, veja com seu medico isto.

CUTIS TRUNCI VARIATRA

Data: 08/10/2014 | De: ROSANA QUEIROZ

Fui ao médico no dia 06/10, ele me passou CETAPHIL (creme) alguém já ouviu falar sobre esse nome? desde então estou passando, no momento ainda num sumiu,mais deixaram de ficar esbranquiçadas.

hipomelanose

Data: 08/10/2014 | De: Lua

fui a dermatologista e ela olhou e foi logo falando q era falta de sol. e mandou eu apenas tomar banho de sol toso os dias. entao fui procurar na net e achei um blog, onde as pessoas compartilhavam conhecimentos, e a maioria das pessoas disseram que melhoraram 80% á 90%, depois de usarem: peróxido de benzoide 5%, Clindoxyl gel e fazer fototerapia. tbm vou tentar fazer isso.. e seja o q Deus quiser.

hipomelanose

Data: 06/10/2014 | De: Antonio

Primeira coisa que a pessoa deve fazer ao SUSPEITAR dessa doença é ir ao medico para solicitar o exame MICOLOGICO DIRETO.

Se der positivo, trata-se de fungo, pano branco..

Se der negativo, a chance é grande de ser hipomelanose macular progressiva.

Medicacao: Banho de sol, clindoxyl, minociclina.

Fim !!!

hipomelanose

Data: 03/10/2014 | De: Patrícia

Tenho 27 anos e desde os 13 anos venho tratando deste problema ,estou cansada pois os médicos nunca dão o diagnóstico certo sempre falam em micose ,nao sei não o que fazer .E a cada ano que passa fica pior se tivessem diagnosticado antes talvez já estaria curada .

Re:hipomelanose

Data: 05/10/2014 | De: luciene

oi Patricia a 3 anos atras usei clindoxyl as manchas sumiram mas como essa doença não tem cura essa semana notei que minhas manchas no tronco estão aparecendo novamente, mas fico tranquila so de saber que tem como controlar com esse gel.

hipomelanose

Data: 27/09/2014 | De: Angelina Freitas

Gente tb estou sofrendo com essas manchas. Ja consultei 03 dermato e eles me dão o diagn. de ptiriase. Vou tentar o clindoxyl gel e retorno a vcs. Quem tiver novidades boas me avisem. Minhas pernas estãoinfestadas. e os braços. Puro sofrimento

1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>

Novo comentário